Whatsapp

blog

08/07/2021

4 cientistas brasileiros que fizeram história

Talvez você ainda não saiba disto, mas hoje é o Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador. E para celebrar os grandes nomes da pesquisa nacional, nós trouxemos uma lista imperdível.

A seguir, confira os 4 cientistas brasileiros que fizeram história no país e no mundo!

1. Oswaldo Cruz (1872-1917)

Oswaldo Cruz foi um dos profissionais brasileiros responsáveis pelo fim da febre amarela, da varíola e da peste bubônica no Brasil. Voltado principalmente para as questões de saúde pública, Oswaldo foi sanitarista, epidemiologista e bacteriologista.

Nascido em São Paulo, filho de um médico, ele cursou a faculdade de Medicina no Rio de Janeiro e começou a publicar artigos sobre microbiologia com seus vinte e poucos anos.

Cruz trabalhou no Laboratório de Bacteriologia da cadeira de Higiene da Faculdade de Medicina e também coordenou a clínica médica que herdou do pai. Oswaldo chegou a viver em Paris, onde se especializou e trabalhou no Instituto Pasteur.

Depois de regressar ao Brasil, ocupou uma série de cargos públicos até virar Diretor da Saúde Pública, indicado pelo então presidente Rodrigues Alves.

2. Carlos Chagas (1879-1934)

Este médico sanitarista foi tão importante para o nosso país que seu sobrenome acabou batizando uma doença. Carlos Ribeiro Justiniano das Chagas descobriu o protozoário Trypanosoma Cruzi, que causava a famosa doença de Chagas.

Carlos Chagas também foi um nome importante nas pesquisas sobre a malária e trabalhou em órgãos públicos para tentar erradicar a doença (como o Instituto de Manguinhos, atual Instituto Oswaldo Cruz). O médico atuou para prevenir os casos, especialmente na baixada fluminense.

Chagas fez igualmente expedições pelo país realizando estudos epidemiológicos em Minas Gerais e na região amazônica. Em 1919, foi convidado pelo então presidente Epitácio Pessoa para dirigir o Departamento Nacional de Saúde Pública.

3. Duilia de Mello (1963)

Nosso terceiro lugar da lista é ocupado por uma cientista ainda viva, a astrônoma Duilia de Mello.

Ela é um dos maiores nomes da ciência brasileira no exterior. Astrônoma e professora titular de Física e Astronomia da Universidade Católica de Washington, Duilia já chegou a ser vice-reitora da instituição onde trabalha.

Com um doutorado pela USP em 1995, depois de ter passado pela UFRJ, Duilia fez as malas e embarcou para os Estados Unidos onde se tornou pesquisadora associada do Goddard Space Flight Center da NASA.

Foi ela que descobriu a maior galáxia espiral já conhecida, a NGC6872.

4. Suzana Herculano-Houzel (1972)

Já a carioca Suzana Herculano-Houzel, também viva, é formada em biologia genética pela UFRJ, tem um doutorado pela Universidade de Paris e um pós-doutorado na Alemanha.

Suzana virou professora adjunta do Instituto de Ciências Biomédicas da UFRJ, onde passou a dirigir o Laboratório de Neuroanatomia Comparada. Em maio de 2016, imigrou para os Estados Unidos, onde leciona e pesquisa na Universidade Vanderbilt.

Além de desenvolver o trabalho acadêmico, escreve para uma série de jornais sobre neurociência tentando alcançar um público mais amplo - não especializado - e colabora com alguns roteiros para a televisão (como quadros pontuais para o Fantástico).

Em 2010, a bióloga ganhou o renomado prêmio da James S. McDonnell Foundation.

Receba todas as nossas novidades por e-mail

Ao clicar em enviar, você concorda com a nossa Política de Privacidade